A importância do layout ao criar o seu e-commerce

A importância do layout ao criar o seu e-commerce

De nada adianta criar um e-commerce se você não souber atrair e conquistar clientes.

O objetivo de todo empreender é lucrar e, também, acompanhar a evolução constante do mundo digital. Para isso, saber criar estratégias que te permitam evoluir a curto e a longo prazo se mostra fundamental.

Existem inúmeros fatores capazes de fornecer o progresso necessário para a sua loja virtual se manter competitiva no mercado, e o layout da sua plataforma virtual é um destes. Para alguns, um dos mais importantes.

O layout do e-commerce corresponde diretamente à mensagem que você deseja passar. Mas, além do aspecto visual – o design precisa ser atraente e dinâmico -, é importante que ele permita uma experiência de compra excepcional para o seu consumidor. Ou seja, é necessário que a imagem e a ação estejam alinhadas.

Para te ajudar a entender melhor sobre a importância do layout para o seu site, separamos algumas dicas:

1) Pesquise

Ao criar uma loja virtual, o seu primeiro grande trabalho será o de pesquisa.

É necessário pensar em todos os aspectos relacionados ao objetivo que você pretende alcançar. No artigo de hoje, a nossa meta é a criação de layout que agregue o valor necessário para transformar a loja em um negócio de sucesso. Por isso, ressalto duas pesquisas especificas para te ajudar:

Concorrentes

Pesquise os seus concorrentes, conheça seus pontos fortes e entenda, principalmente, seus pontos fracos.

Analise a forma como atuam no mercado, e como a aparência do e-commerce os ajuda a criar uma identidade própria.

Isso lhe permitirá investir recursos no lugar certo, atuando no que já agrada o consumidor e conhecendo onde precisará se dedicar para não errar.

Público-alvo

Criar uma loja virtual com layout personalizado, pensado no cliente, permite que você se comunique diretamente com o seu público-alvo.

Realize pesquisas de satisfação, leve em consideração suas queixas e use todas as informações obtidas a seu favor. Desta forma, tirar o e-commerce do papel com uma imagem precisa e certeira, que irá de encontro com as expectativas criadas pelo seu consumidor, fica muito mais fácil.

2) Plataforma e layout

A escolha de uma boa plataforma digital é imprescindível. Busque uma que seja simples e de fácil acesso. Mas, em primeiro lugar, coloque-se no lugar do seu consumidor, enxergue suas necessidades e trabalhe em cima delas.

Plataforma

Atualmente, a maior parte dos consumidores realiza suas compras por smartphones ou tablets. Assim, é extremamente necessário que sua plataforma tenha um formato responsivo.

Pesquise plataformas organizadas e que se enquadrem na mensagem que deseja enviar a seus consumidores, lembre-se que ela é quem atraíra ou não, clientes para sua loja virtual.

Layout

Procure manter um designer organizado, limpo e de fácil acesso. Invista em usabilidade. Atente-se em deixar os principais botões expostos, como “adicionar ao carrinho” e que sua navegação dentro deles seja dinâmica e fácil.

Exponha cuidadosamente suas promoções e use chamadas para ação – conhecidas como “call to action”-, que são os botões que sinalizam “compre agora” ou até mesmo “não perca mais tempo”. Quanto menos cliques forem necessários para que uma compra seja concluída, maiores serão suas chances de sucesso nas vendas.

Seja claro e objetivo. Deixe as informações de contato sempre visíveis e estrategicamente posicionadas. Disponibilize mais de uma alternativa de contato, isso agregará credibilidade a sua marca e segurança a seus consumidores.

3) Tenha bom-senso

Escolher a aparência perfeita, ao criar uma loja virtual, é essencial para o sucesso do seu negócio. Mas de nada adianta uma loja visivelmente atraente se não for proporcionalmente dinâmica e simples.

Entretanto, neste ponto da estruturação de um bom layout, entra o bom senso. Estude a combinação de cores que irá usar, ela precisa transparecer sua mensagem e destacar seu produto.

Pense com cuidado na fonte que irá utilizar, ela também precisa estar associada ao perfil da sua loja virtual. E lembre-se: pequena demais dificulta a leitura, grande demais fica desproporcional e pode assustar seus consumidores.

Trabalhe a qualidade da sua vitrine virtual, busque sempre utilizar imagens, banners, vídeos, com boa qualidade gráfica, exponha as informações visuais dos seus produtos o mais detalhadamente possível, antecipando as possíveis dúvidas que venham a surgir.

4) Segurança

Se você é novo no mercado, é normal que seus consumidores se sintam inseguros no momento de finalizar a compra e informar seus dados pessoas e de pagamento. Mas essa insegurança não deve existir.

As formas de pagamento são a parte mais importante de uma loja virtual, e é sua obrigação que essa etapa aconteça de forma segura.

Disponibilize todas as formas de pagamento que puder, incluindo boletos, e obtenha e disponibilize na sua plataforma todos os selos e logotipos de certificação de segurança que possa ter.

O que é omnichannel e como seu e-commerce pode se favorecer dele?

O que é omnichannel e como seu e-commerce pode se favorecer dele?

Quem está à frente de um e-commerce precisa entender o que é Omnichannel na prática. Este não é um conceito novo, mas a sua aplicação no Brasil ainda dá os primeiros passos.

Apesar da aparente inexperiência desse modelo de gestão de vendas, a notícia é boa para a sua empresa digital. As ferramentas capazes de adequar seu negócio a um novo perfil de consumo já existem por aqui.
E quem apostar primeiro no fim de qualquer barreira entre o online e o offline sai na frente da concorrência.

Em um mercado tão competitivo como o varejo nacional, esse é um detalhe que faz toda a diferença.

A partir de agora, você vai saber o que é omnichannel, entender o conceito e descobrir como ele pode impulsionar suas vendas.

O que é omnichannel?

Omnichannel é um conceito relacionado à integração de vendas e atendimento entre lojas físicas, virtuais e consumidores. Sua proposta consiste em oferecer a mesma experiência de consumo através de canais diversos, mas como se fossem um só.

Essa é uma nova visão, desenvolvida para adequação a uma nova cultura do cliente. Em vez de pensar no comércio físico e eletrônico como elementos separados e concorrentes, a tendência aponta para a oferta de soluções integradas.

Tudo isso é proposto de maneira a disponibilizar multicanais ao cliente, com as opções que ele deseja para escolher onde, quando e como comprar.

Como o omnichannel funciona na prática?

Ao entender o que é omnichannel, fica claro que ele faz de um aparente problema uma solução. Quer ver só?

Vamos analisar a situação de quem atua no varejo online e físico. No site, o abandono de carrinho preocupa. Na loja, o cliente observa o item desejado, mas vai embora sem nada gastar.

Você já parou para pensar que muitos daqueles que não finalizam a compra no site o fazem na loja? E que outros que saem dela sem comprar preferem concluir o processo pelo site ou aplicativo? Faça uma rápida reflexão.

Há anos é assim, ainda que não exista uma abordagem direcionada a essa realidade. Então, por que encarar como perda se o cenário aponta para uma oportunidade? Fica evidente que o desafio é aumentar a sinergia entre o online e o offline.

Você já é multicanal na oferta de meios para atender e vender, só não o faz de maneira integrada. E é isso que o omnichannel se propõe a fazer. Ele permite à sua empresa atuar em multiplataformas, ampliando as possibilidades de interação do consumidor com seus produtos e sua própria marca.

Exemplos de uma estratégia de omnichannel

OK, você já entendeu o conceito, sabe o que é omnichannel, mas não consegue visualizar ações práticas dele?

As possibilidades são inúmeras.

Veja algumas delas:

  • Sincronizar estoques entre as lojas virtual e física
  • Comprar no site e retirar na loja
  • Comprar no site, trocar e devolver na loja
  • Comprar na loja itens não disponíveis nela no momento e acompanhar o pedido pela internet.

Vale repetir: no omnichannel, online e offline são uma coisa só. E isso faz todo sentido para seu cliente.

Omnichannel: de tendência a realidade

É verdade que o varejo brasileiro ainda engatinha quando o assunto é omnichannel. Soluções integradas estão muito mais para exceção do que para regra. Mas a necessidade já está mais do que clara. Em parte, isso se revela pela própria experiência internacional.

Em 2014, a IBM realizou um estudo com mais de 30 mil consumidores em 16 países. Na oportunidade, identificou suas expectativas quanto ao Omnichannel. Muitos desejam o que ainda é raro por aqui, como preços e variedades de itens consistentes nos diferentes canais e a possibilidade de devolver na loja física um produto comprando de forma online.

Mais interessante ainda é a pesquisa divulgada em 2016 pela tradicional Revista Forbes, ela focou no público consumidor do Reino Unido, mas seus dados são como um choque de realidade que se aplica a qualquer país. Eles mostram que o Omnichannel já não é mais apenas uma tendência.

Veja alguns deles:

  • 72% já utilizaram um serviço de click & collect (pontos de retirada);
  • 49% recorreram mais a ele do que o faziam há um ano;
  • 21% fazem isso em pelo menos metade de suas compras;
  • 28% comprariam em outro varejista se o click & collect não estivesse disponível;
  • 17% não realizariam a compra nesses casos.

Ou seja, cada vez mais, as pessoas estão comprando na internet, mas retirando os produtos adquiridos nas lojas físicas. E tem mais:

  • 75% optam pelos pontos de retirada pela conveniência;
  • 74% elogiam a forma de entrega gratuita por suas compras;
  • 65% dos consumidores fazem compras adicionais nos pontos de retirada.

Imagine vender pelo site, encaminhar o consumidor à sua loja física e, lá, ele adquirir novos produtos? Mais vendas, maior faturamento e um aumento no ticket médio do cliente. Isso sem falar na satisfação dele, que também aparece de forma clara em uma estratégia de Omnichannel.

Se você ainda não integrou suas lojas online e offline, está mais do que na hora. Ou salta na frente da concorrência, ou logo vai estar atrás dela.

Tendências do E-commerce para 2020

Tendências do E-commerce para 2020

Para quem possui uma loja virtual, precisa estar atento as novidades do mercado o ano todo. Em 2019 tivemos uma alta relevância em pontos voltados ao mobile, e para 2020 não será diferente. Entender que você precisa se adaptar as mudanças é necessário para poder se destacar no mercado.

Mobile em 2020

Essa é uma tendência que podemos dizer, com certeza, que vai se concretizar. Por tanto precisa-se ter atenção em dois pontos.

Deixar seu site responsivo

Para que não perca vendas, faça uma análise do seu site na versão mobile. As pessoas não gostam de esperar por muito tempo para carregar um site. Não vai perder vendas porque seu site está demorando pra carregar né?!


Desenvolver um aplicativo

Dependendo do seu segmento de vendas, estude a possibilidade de ter um aplicativo, assim facilitando a compra e fidelizando clientes.

Vídeos estão dominando o e-commerce

Outra novidade é substituir as descrições dos produtos pelos vídeos, tornando mais atrativo e dando a melhor experiencia para o cliente, fazendo com que fique mais clara as informações dos produtos.
Mas ainda não é hora de abandonar as descrições por escrito devido ao SEO, elas ainda são a melhor forma de destacar o produto nos buscadores orgânicos do Google.

Expansão do Omnichannel

Outra prática mais nova do e-commerce é o omnichannel, uma novidade que veio muito forte em 2019 e em 2020 será mais comum nos depararmos com lojas que optarão em utilizar essa estratégia para melhorar a experiência de seus usuários.

Observar o comportamento do seu consumidor é a melhor ação para que você possa traçar uma estratégia com base nas novidades do e-commerce. Não saia adaptando todas as novidades para seu negócio, faça uma análise e por fim escolha qual o melhor caminho seguir.

Boas vendas em 2020!